Noticias

Mercado móvel brasileiro pronto para um crescimento explosivo

O percentual de paginas internet vistas a partir de aparelhos móveis no Brasil deveria dobrar daqui a maio 2013.

06 de Março 15 , 2013

crescimento explosivo do mercado movel

A consumação de conteúdo internet móvel atual, incluindo celulares e tablets, é muito baixa no Brasil em comparação a outros grandes países. Isso não é tão ruim se pensar no potencial de crescimento do mercado brasileiro que consta a quinta maior população no mundo com mais de 190 milhões de pessoas.

Em maio 2011, o percentual de todas paginas internet vistas no Brasil por aparelhos diferentes que computador pessoal ou laptop era de 0.6%, de acordo com a empresa de pesquisa Comscore Inc. Até Maio 2012, esse numero tinha crescido até 2.4%, ainda relativavelmente  baixo em comparação aos 10.9% nos Estados-Unidos e 13% na Inglaterra. Porém, esse numero mostra um crescimento significante em 12 meses.

Alex Banks, diretor das operações da Comscore Brasil e vice presidente da unidade America do Sul, disse que os números mostram o grande potencial do mercado móvel no quinto maior pais do mundo.

“Tem que guardar na mente que o Brasil é um pais enorme com a maior parte do uso da internet concentrado em São Paulo e no Rio de Janeiro” disse o Banks.  “Porem, no global, o crescimento é bastante explosivo.

Ele esta prevendo que o percentual de uso do internet pelos aparelhos moveis no Brasil vão pelo menos dobrar, chegando até 5 ou 6% em Maio 2013. A pesquisa feita pela eMarketer mostra elementos similares. O numero de usuários de internet móvel no Brasil atingiu 8 milhões em 2010. Em 2011, esse numero pulou de 214% para chegar aos 25.3 milhões.

Projeção de crescimento de usuários de internet móvel no Brasil

O crescimento da internet móvel esta previsto para continuar no Brasil nos próximos quatros anos segundo as estimações da eMarketer, o numero de usuários da internet móvel deveria chegar aos 96.4 milhões em 2016.  Em 2011, o numero de acessos a partir de aparelhos moveis no Brasil passou o numero de acessos internet fixos – uma primeira para o Brasil disse eMarketer. Um dos fatores que poderiam contribuir nesse aumento de uso da internet móvel na America do Sul, no Brasil em particular, é o alto envolvimento dos usuários nas redes e mídias sociais, de acordo com a Forrester Research Inc.

Num relatório de março 2012, intitulado “Entender as necessidades de mudança dos consumidores online na América Latina”  (titulo original Inglês “Understanding The Changing Needs Of Online Consumers In Latin America“), Forrester percebeu que usuários da America do Sul não restringem acessos à mídia social aos computadores pessoais ou laptops. 38 por cento dos metropolitanos conetados regularmente usam redes sociais como Facebook o Orkut a partir de celulares/smartphones. A necessidade de se conetar e interagir com outros, a qualquer momento, em qualquer lugar, é uma atividade diária para 11 por cento dos metropolitanos conetados segundo um artigo da analista Roxana Strohmenger (da Forrester) intitulado “Affair dos latinos americanos com Social se estende para telefone móveis” (titulo original Inglês “Latin American’s Love Affair with Social Extends to Mobile Phones”).

De fato, a Facebook Inc. confirma que o número de usuários ativos mensais no Brasil subiu para 61 milhões em outubro de 2012, em comparação a 25 milhões em agosto de 2011. E uma pesquisa ComScore / Facebook descobriu que mais de um terço dos usuários do Facebook – cerca de 37 por cento – estavam acessando o site através de seus smartphones a partir de agosto 2012. A mesma pesquisa também descobriu que cerca de 15 por cento dos usuários estavam visitando o site pelos seus tablets ou e-Readers. Uma coisa é clara: não é que os brasileiros não querem acessar a Internet através de dispositivos móveis, só que a maioria deles apontam o custo como barreira significativa entre outros fatores. Daniel Andrade, um estudante de 24 anos de idade, em Recife, disse que ele estava usando o seu telefone celular para acessar a Internet mas decidiu cortar o serviço devido ao custo, limitações de acesso e falta de conveniência.

“E mais rápido na casa” ele disse. Mas um outro problema tendo internet no celular é que muito mais caro em proporção”.

Ele mostra que mesmo com um custo de acesso ao internet celular de menos do que aproximadamente 100 Reais (US$ 47 ) por mês, ele já paga acesso ilimitado na casa dele, e então não vale.

Andrade, por exemplo, disse que gostaria de pagar um preço razoável plano de dados ilimitado – mas apenas se o serviço melhorou. Planos ilimitados de dados que estão a preços acessíveis nos EUA são muito mais caro no Brasil, nota Banks.

Mas isso poderia mudar. Não é nenhum segredo que o setor móvel do Brasil está precisando de reforma. Reguladores estão cada vez mais pressionando os provedores de telecomunicações para oferecer custos mais baixos e melhores serviços. Um artigo da BusinessWeek apontou Emília Ribeiro, comissário do regulador de telecomunicações do Brasil (Anatel)  dizendo que as taxas cobradas por operadoras de telefonia móvel do Brasil poderiam diminuir em cerca de 80 por cento até 2018.

Taxa de interconexão móvel no Brasil é supostamente perto daquela nos EUA ou seja 22-25 centavos por minuto – atrás apenas do Nigéria e da África do Sul e quase quatro vezes mais do que a taxa média de 6,2 cêntimos por minuto em 33 membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE ). Enquanto isso, os usuários móveis nos EUA, México, Israel, Turquia, Coréia e Portugal pagam menos de 5 centavos de dólar por minuto, de acordo com dados da OCDE, citados pela BusinessWeek. Se as taxas no Brasil de fato cair por quase 80 por cento, ficariam em linha com a taxa média atual de 33 membros da OCDE.

Observadores no terreno acreditam que um outro fator poderia estar colocando pressão sobre as operadoras móveis do Brasil é o número crescente de pessoas que se conectam a redes Wi-Fi em locais públicos, como cafés ou bares com seus smartphones e tablets. Com o uso de dispositivos móveis ficando menos dependente das operadoras móveis e o serviço Wi-Fi se tornando um valioso serviço para os comerciantes, é possível que as prestadoras móveis se proteger e oferecer preços mais baixos.

Em geral, o aumento do poder de compra, melhor infra-estrutura de telecomunicações e preços mais baixos ajudaram a taxa de penetração da Internet crescer rapidamente no Brasil. eMarketer estima que 86,4 milhões de usuários de internet, ou 42 por cento da população do Brasil, estarão online em 2012. Pressão de hospedar a Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016 está também estimulando avanços rapidos na infra-estrutura de telecomunicações do país, como mostra a eMarketer.

Planos de internet móvel mais baratos poderiam rapidamente fazer aumentar o volume de  de conteúdo internet consumido por operadoras sem fio nos celulares existentes e nas futuras gerações de smartphones.

(Used with the permission of http://thenetwork.cisco.com/)